Encontrei beleza na dor | Tutorial de Tranças Sintéticas | Box Braids

terça-feira, janeiro 06, 2015


Olá minhas borboletas lindas! Tudo bem?

Encontrei beleza na dor.

Esse tutorial é muito especial pra mim, por que ele tem muito a ver com superação. Aí vocês vão me perguntar: o que o tutorial tem haver com superação e beleza? Vou fazer um resumo da minha história.
Pois é, eu gravei esse vídeo e no mesmo dia comecei a fazer as primeiras edições de imagens. Passei o dia todo só mexendo no vídeo e quando estava finalizando os cortes, comecei a ter uma crise de pânico.
Tive uma crise de mais ou menos uma hora, estava tão feliz montando o vídeo para vocês e, de repente, comecei a passar mal. Para quem não sabe, eu tenho síndrome do pânico e um pouco de depressão. 
No começo, as crises que eu tinha eram muito fortes e atacavam meu físico, a sensação que eu tinha é de que iria morrer, tive várias crises, cada uma vinha de um jeito diferente, quando tenho as crises geralmente sinto muita falta de ar, minha mão fica gelada, sinto muito tremor no corpo inteiro, parece que estou tendo uma convulsão e o pior de tudo é sentir seu corpo formigar, as crises são terríveis. Muitas pessoas acham que é mentira ou fingimento, mas não é, é um fato real que está acontecendo comigo desde maio de 2014, ainda estou em tratamento. No começo eu não entendia nada e não sabia o que fazer. Fiquei muito mal, totalmente depressiva, por que eu não sabia o que estava acontecendo comigo e com meu corpo. Conversei com alguns amigos e fui procurar ajuda em psiquiatria. Até então não sabia lidar com a situação, perdi a vontade de me arrumar, de sair, eu me isolava das pessoas. Muitas vezes chorava no meu quarto e no trabalho também, eu passava muito mal indo para o trabalho no meio do caminho, no metrô, no ônibus, na rua, indo para faculdade, na sala de aula, em casa, enfim, em vários lugares e muitas vezes eu estava bem e do nada tinha uma crise.  Eu sempre fui uma pessoa bem vaidosa e tals, então naquele primeiro momento tudo desmoronou na minha cabeça.
Chegou o dia da consulta, passei com uma psiquiatra e ela me explicou o que eu tinha e como seria o tratamento, ela disse que o tratamento duraria em torno de 1 ano ou mais e que talvez eu tomaria remédio pro resto da vida.
Comecei o tratamento, passei a tomar vários remédios fortes, me deram alergia, eu não me adaptei e continuei tendo as crises. Um dos efeitos colaterais dos remédios era o enjoo, eu mal comia, emagreci muito.
Muitas pessoas que estavam do meu lado não sabiam muito bem o que fazer quando eu passava mal, tive ajuda de alguns amigos, mas me afastei de outros. Ficava em casa em vários momentos, tinha vontade de morrer, muitos amigos sumiram, e somente tinha o apoio da minha família e principalmente da minha mãe. Passei a dormir com a minha mãe quando descobri isso, por que tinha medo das coisas e muitas vezes tinha vontade fazer uma loucura, mas faltou coragem dentro de mim.
Comecei a me apegar em outras coisas e vi que precisava me fortalecer e que somente eu poderia mudar as coisas, a força maior tinha que vir de mim. Então com o passar do tempo, me apeguei mais a DEUS e lembrei que eu tinha feito um blog há muito tempo e que tinha que voltar a fazer as coisas que eu queria.
Aí as coisas começaram a mudar. Passei a criar uma meta, toda vez que eu passasse mal, eu iria ficar mal somente naquele dia, no dia seguinte, eu iria levantar a cabeça como se nada tivesse acontecido. Passei a fazer isso. Depois comecei a olhar meu antigo blog que se chama Criando Borboletas, eu nunca tinha parado pra pensar por que coloquei esse nome no meu blog, então fui pesquisar o significado de borboletas, vi que tinham várias coisas ligadas à mulher, à transformação e à renovação, a borboleta vive pouco tempo e por isso vive cada dia como se fosse o único. Então tomei esse lema pra minha vida: "viva cada dia como se fosse o único", naquele momento, as coisas começaram a fazer mais sentido pra mim, com a minha vida e com a minha historia. Então resolvi voltar a publicar no blog, como uma forma de aumentar a minha autoestima, aí fiz a primeira publicação e depois outra e outra, e cada publicação me motivava cada vez mais. 
Durante esse processo, eu nem me arrumava, ia trabalhar toda desengonçada, a minha mãe falava: “filha, passa um batonzinho, se anima, você está muito apagada!”, então minha mãe passava batom em mim. Mesmo assim eu não me animava, um belo dia eu falei: “ahh, vou cortar o cabelo pra me animar!”. Aí fui em um salão de cabeleireiros e pedi para a mulher cortar bem curto, que nem de homem, ela disse: “tem certeza?”, eu disse que sim, eu pensei comigo, vou voltar para minhas raízes e parar de fazer progressiva, eu queria ser a Dalila de antigamente, com cabelos cacheados, então cortei bem curto. Na primeira semana fiquei até animadinha, mas depois aquela tristeza vinha de novo junto com o sofrimento. Aí continuei postando coisas no blog para cabelos cacheados e crespos e passei a pesquisar vários produtos que estavam surgindo no mercado da beleza. Nessa pesquisa, eu vi a foto de uma mulher de tranças e resolvi fazer o mesmo em meu cabelo. Fiz as tranças e logo pensei em fazer um tutorial de tranças para iniciantes assim como eu, gravei com a câmera do computador e eu mesma editei as imagens e postei o vídeo no blog.
Nesse processo todo eu ainda estava tomando vários medicamentos, troquei algumas vezes de remédio por que nenhum estava fazendo efeito, mas foi a terapia que de fato me ajudou muito e ainda está me ajudando. Na terapia, conheci várias pessoas que estavam passando pelas mesmas coisas que eu. Vi que algumas pessoas estavam bem pior que eu, passei a ir às consultas toda semana, e sempre contava tudo o que eu sentia para minha psicóloga. Em um dos dias, em algum momento, falei que eu tinha um blog de beleza, ela achou super legal e me motivou a continuar criando conteúdos para o blog. Com tantas ideias que eu tinha para o blog e sem ter amigos por perto pra sair, eu ficava em casa inventando coisas e passei a esquecer das crises de pânico.
Depois tirei as tranças e decidi colocar de novo, dessa vez com uma cor bem chamativa, eu queria mudar radicalmente. Aí falei com a minha cabeleireira e perguntei se tinha rosa, ela disse que sim. No começo achei estranho, mas em todos os lugares que eu passava as pessoas ficavam olhando e elogiando, as crianças então adoravam! Eu comecei a ficar mais animada e motivada, e passei a me arrumar mais, no começo eu nem sabia como me arrumar, parecia que estava aprendendo tudo do zero, eu fica meio assim de fazer até as maquiagens, percebi que naquele momento, estava começando a viver de novo, aprendendo fazer tudo do zero, fazer novas combinações. Isso foi me alegrando tanto, pois eu comecei a ver a beleza na dor e na solidão, e isso começou a levantar meu astral. 
Resolvi gravar outro tutorial de como fazer tranças rosas, fiquei bem feliz, e já quero colocar outras cores. Por isso resolvi compartilhar um pouco da minha intimidade, se você tem algum problema ou alguma doença, não deixe se abater. Eu sei que é muito difícil, mas procure fazer coisas que você goste e fique próxima de pessoas que gostem de você, principalmente sua família e, mesmo que não tenha ninguém, lembre-se que você nunca está sozinha, DEUS está do seu lado olhando pra você! Pense também que nada é por acaso, se você está passando por uma situação ruim, lembre-se se de tirar proveito disso, tudo serve como uma lição de vida. Não importa qual seja a sua religião, se apegue em algo que ajude em seu processo de recuperação.
O meu blog de beleza está me ajudando muito, eu acredito que a beleza transforma e muda a autoestima de uma mulher, assim como mudou a minha. Hoje ainda estou em tratamento, tomo remédios controlados, mas eu vivo feliz mesmo com a dificuldade ao meu lado. Vejo que posso ajudar várias pessoas e motivá-las a acreditarem mais em si mesmas, por que eu sou a prova viva disso. Espero que vocês gostem do vídeo e qualquer coisa, conversem comigo!

Beijos,
Dalila Flor


You Might Also Like

0 comentários